Ter estilo é não se importar com a opinião alheia

Você já deve ter se perguntado ao ver alguém vestindo determinado tipo de roupa “nossa, será que ela não tem vergonha de sair vestindo isso?” ou “meu Deus, que trajes são esses? Eu teria vergonha de sair assim”.

Você já parou para pensar que pessoas com estilo, que são consideradas estilosas, ouvem isso o tempo todo? Afinal, ter estilo nada mais é do que ser DIFERENTE e tudo que é diferente causa polêmica.

Separei alguns looks de pessoas campeãs de polêmicas simplesmente por escolherem o que vestir e se sentirem bem com isso.

 

Ela é uma das minhas celebridades favoritas e uma das mais polêmicas que já existiram/existem. Não tem como falar de estilo sem falar da Kim Kardashian. A cada look novo uma polêmica. Mas a cada polêmica mais alguns milhões de dólares na conta. Essa sim faz de cada limão uma limonada.

Juro que ainda não entendi muito bem o estilo da Anitta, mas com certeza o sobrenome da musa é OUSADIA! Ela deixa isso registrado em cada aparição, além da paixão que tem pela Moschino, rs.

Os meninos também causam polêmica com looks, confesso que o Luan Santana exagerou um pouco em algumas roupas e sobreposições, a impressão que ficava era que ele tinha resolvido usar todas as peças do closet de uma só vez. Ficava confuso! Mas ele continua sendo lindo.

Tem look que só fica lindo nela, já perceberam? Ahh, que musa! A Rihanna só dá orgulho para gente! Agora imagine uma simples mortal usando esses dois looks verdes.

Nãao! Deixa eles pra Riri. Ela arraza!

Pra fechar com chave de ouro Bruna Marquezine! Meu crush de estilo do momento!

Estou completamente apaixonada por essa nova fase da gata. Ela está cheia de personalidade nas aparições e “causany” com tanto lookinho topíssimo. Meu favorito é esse com a jardineira e o Vans quadriculado.

Se eu fosse colocar todos os looks dessas figuras aí em cima ficaria eternamente por aqui.

Além disso, existem muitas outras personalidades com estilos muito peculiares como esses aí de cima.

Deixa seu comentário aqui e me fala quem merece um top 10 de looks polêmicos?

Beijos!

Siga a Marina lá no insta tem post todo dia @blogmarinarosa

Minimalismo e o consumo consciente

Há algum tempo tenho pensado em como nós, seres humanos, conseguimos acumular tantas coisas e trambolhos durante alguns anos de vida. To falando de excessos e coisas totalmente inúteis pelo simples prazer de tê-las. Isso vale pra aquele monte de roupa que você não usa há déeeecadas! Ou aquele monte de potinhos de plástico que você insiste em acumular e não emprestar pra ninguém. (Deus ta vendo!)

Nos últimos tempos, mais especificamente do início de 2016, ano passado, pra cá, tenho colocado muitas coisas pra fora da minha vida e procurado viver apenas com o necessário. Tirando a comida, porque comida e experiências gastronômicas nunca são demais (risos).

Quando digo apenas o necessário, to falando em como aprendi a viver, entre todas as coisas, com 3 calças jeans, dois blazers (um preto e um nude), uma bota, uma sandália de salto, duas alpargatas, um All Star, dois ou três pares de sapatilhas e um de havaianas. Sem contar as “brusinhas” lisas que em sua maioria são a verdadeira definição de peças coringas.

To citando as roupas, pois foi ali que já deixei boa parte dos meus salários durante a vida. Ahh, e os sapatos também, afinal, qual mulher não A-DO-RA sapatos. Heim? (eu poderia ter comido muito bem com toda a grana que já gastei com tanta besteira).

Mas muita coisa, depois que comecei a me importar mais com o sentir do que com o ter, mudaram em minha vida. Desde as relações, até as atitudes perante as pessoas que se julgam melhores do que o restante do mundo só por estarem usando uma peça de marca.

Que fique claro! Eu adoro coisas de marca, pois na maioria das vezes são coisas de qualidade e atemporais, porém, o que vejo como negativo são pessoas que se sentem superiores aos outros por possuírem um objeto de valor. Meus queridos, felizmente a classe e a elegância não dependem do que você veste, mas quem você é vestindo aquilo, do seu comportamento e atitude perante a sociedade. Isso sim te define!

Escrevi toda essa reflexão pra falar de um assunto que me trouxe até aqui.

Consumo consciente e minimalista

Não sou uma expert no assunto, mas o que pesquisei e acabei tirando de referência por aí, está me ajudando a chegar ao ponto que eu realmente quero (a verdade é que esse assunto da muito pano pra manga e terão outros posts sobre isso no blog).

Quando ouvimos falar em “menos é mais” já nos remete a algo chique e sofisticado, coisa de gente fina, não é?

Mas o minimalismo, principalmente no universo da moda, tem diversos significados e sentidos, principalmente para quem o adota como estilo de vida.

Esse termo foi gerado e visto nas roupas da década de 90 (melhor época da moda EVER!), mas foi na arquitetura do comecinho do século XX que o minimalismo apareceu com diversas referências orientais. A ideia dos arquitetos e dos designers era acabar com os excessos de informações e manter só o que era essencial, além disso, um dos principais focos desse movimento era trazer praticidade e funcionalidade aos ambientes.

O minimalismo tem características marcantes, é composto por linhas geométricas, cores lisas e claras, pouca mobília e decoração com objetos. Aliás, foram dois extremos, pois a década de 80 foi marcada por grandes excessos, acalentada pelo minimalismo MA-RA dos anos 90.

Depois de algum tempo esse conceito chegou ao universo da moda com uma proposta simples e sóbria, cores lisas, recortes geométricos, com peças que proporcionassem conforto e praticidade, com todos esses atributos e o passar nos anos, o minimalismo evoluiu e a forma de consumo e uso também.

Afinal de contas, menos é mais! Menos desperdício, mais aproveitamento.

Todas as imagens que estão neste post, estão compartilhadas no Pinterest Blog Marina Rosa que tem diversos pins de Moda Minimalista siga a gente por lá também <3